Corpo Docente

Lais Silveira Costa

Doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/FIOCRUZ); mestre em Development Studies pela London School of Economics and Political Science (LSE); Especializada em Gestão de Organizações de Ciência e Tecnologia em Saúde pela Fiocruz e em Gestão Pública pelo Projeção/Fortium. Servidora pública federal da Fundação Oswaldo Cruz, atualmente é segunda líder do Grupo de Pesquisa em Inovação em Saúde (GIS) da Fiocruz; bolsista de Desenvolvimento Tecnológico Industrial Nível A do CNPq; participa também do Grupo de Pesquisa "Governos e Sociedade na Gestão de Políticas Públicas" da Fundação Oswaldo Cruz, onde lidera a linha de pesquisa Desenvolvimento, Estado e Saúde. A pesquisadora faz parte do Departamento de Políticas Planejamento, Gestão e Práticas em Saúde da pós graduação de Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Além disso foi recentemente credenciada para lecionar e orientar no Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da UFRJ. Tem diversos trabalhos publicados em revistas acadêmicas de alto impacto de disseminação e em livros de referência sobre o tema no Brasil. Atualmente está envolvida no processo editorial do livro "Saúde, Desenvolvimento e Inovação" do Instituto de Medicina Social da UERJ, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e o Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da UFRJ. Participa também, como editora convidada, de suplemento temático (sobre saúde, desenvolvimento e inovação) do Cadernos de Saúde Pública da ENSP e compõe o corpo da Comissão Científica do 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. Antes de seguir carreira acadêmica, atuou em diversos órgãos de governo, foi consultora de organismos internacionais, participou de debates nacionais e internacionais sobre temas diversos a exemplo de federalismo fiscal, descentralização de ações públicas, desenvolvimento regional, saúde coletiva e integração de fronteiras.

lais.costa@fiocruz.br 

Áreas de interesse: Saúde Coletiva, Gestão e Planejamento, federalismo fiscal, descentralização de ações públicas, desenvolvimento regional, saúde coletiva e integração de fronteiras.